A VIDA TEM UM INÍCIO, TEM UM FIM, EU ESTOU A DESCOBRIR O MEIO.

.posts recentes

. QUATRO DE DEZEMBRO DE 201...

. COMO O TEMPO PASSA...

. E outro Natal chegou!

. Coisas "boas"

. 4 de Outubro - Dia Inter...

. Pelo sonho é que vamos...

. O seu aniversário

. Meio da vida

. Anjos e Demónios

. Primavera é a rainha das ...

. O que oferecer?

. Encantos da minha vida.

. Obrigada pelo miminho!

. Sapatinhos vermelhos

. E a Primavera chegou.

. Sair do Buraco

. Estou a ficar "cota"

. Cura para a neura

. Acabaram-se as férias

. Teatro da vida

.arquivos

. Dezembro 2011

. Agosto 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

.links

Domingo, 30 de Setembro de 2007

A minha família canina I

A vida ensinou-me que só eles são capazes de dar amor incondicional. Para mim são tão importantes como as pessoas, por vezes mais. Fico mal quando os vejo abandonados e doentes. Por isso tenho dez em casa. Em casa e no quintal, que felizmente moro no campo. Não posso ter mais porque recebi um ultimato e não posso trazer mais nenhum. Hoje vou falar de dois deles: o maior e a mais pequenina, amigos inseparáveis que não se largam nem para comer e dormir. Ele chama-se Bóris e tem quatro anos. É o único cão de "marca" cá de casa, mas tal como os outros estava condenado a morrer. Está cá desde as seis semanas, lindo, doce maravilhoso, amigo e... gordo. Adoro o meu Bóris, meu grande amigo, que tão bem percebe e sabe consolar quando estou triste. Para além de tudo é futebolista e tem mau perder. A amiga tem 5 quilos, chama-se Leca, (Meia-Leca ficava grande demais) e tem 3 anos e meio. A Leca veio cá para casa com pouco mais de duas semanas. Não tinha dentinhos e não sabia comer sozinha. Até hoje me pergunto que espécie de "pessoa" teve coragem de pôr aquela coisa tão fofa no contentor do lixo. Mas teve. Os senhores da recolha do lixo ouviram-na "chorar" e levaram-na para o canil municipal. Foi onde a vi e não consegui deixá-la lá, onde ia com certeza morrer. Quando me dá tantos miminhos e olha para mim com aqueles olhos doces penso que a dita "pessoa" não sabe o que perdeu. Agora as fotos destes meus lindos. Os outros virão depois.

                                                              

 

Jokas da Dinha

sinto-me: Babada

publicado por Maria às 22:45

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.Visitas

net tracking stats

.online

blogs SAPO